Não permita que os pedidos de débito estraguem o seu dia!

Está cientificamente comprovado que Janeiro é o mês mais longo do ano, e este não foi excepção.

Não é segredo que, para muitos, o som dos pedidos de débito de Janeiro disparando no seu telefone é coisa de pesadelos.

Sim – deve ser nossa própria responsabilidade controlar as nossas despesas e garantir que tenhamos dinheiro suficiente para suprir as despesas básicas.

MAS: E se a vida continuar a atirar bolas curvas para si?

Segundo várias fontes, o preço médio da cesta básica subiu quase 15% de Outubro de 2021 à Novembro do ano passado… não sabemos quanto a si, mas nós apenas vimos esse tipo de aumento nas prateleiras das lojas, e não nas nossas contas bancárias…

Tudo, em todo lugar!

Associado a isso, os crescentes custos dos produtos de primeira necessidade que impacta toda a cadeia de valor da produção de alimentos, e o alívio parece um sonho distante.

Ah, e nem vamos começar dos aumentos do preço de energia!

Com a maior parte dos nossos produtos alimentícios básicos a se tornarem cada vez mais inacessíveis, é preciso uma acção directa. Ainda que não seja sua obra, lidar com a inflação de alimentos e, ao mesmo tempo, garantir que sua a família alimente-se de forma saudável, é sua responsabilidade.

Existem muitas formas de cortar custos sem tirar o essencial, e a sua família agradecerá a longo prazo.

Apresentamos algumas dicas que podem economizar bastante os custos para preencher o seu orçamento. Um pouco pelo menos…

  1. Correndo risco de soar como um disco quebrado… coma mais plantas.

Carne, ovos e lacticínios são alguns dos alimentos cujo preço disparou. Portanto, reduzir o seu consumo não apenas beneficiará o seu orçamento, como também poderá ser um melhoramento na saúde.

  1. Cancele a inscrição.

    O início de um novo ano é um bom momento para verificar as suas subscrições recorrentes e certificar-se de que realmente precisa E as usa. Três serviços de internet diferentes, aplicativos pagos e contas “premium” apenas para contornar os anúncios podem tornar a vida um pouco mais divertida mas, de certeza, a tornam mais cara.

  1. Conserte, não gaste!

    Normalize a concertação de coisas. Seja um brinquedo que só precisa de uma cola, uma camisa que precisa de um botão, um sapato cuja sola pode ser reposta… Não ceda à obsolescência planeada. Com um ponto, uma gota de cola ou um pouco de trabalho, a maioria dos artigos do dia-a-dia podem ser facilmente consertados e permitir-lhe alguns meses (ou até mais) de bom uso.

  1. Prepare a sua marmita (e evite as entregas).

    Certifique-se de ter um plano de menu adequado e cumpra-o. Acrescente a isso fazer comida suficiente para o almoço no dia seguinte, e você estará a marcar as caixas de uma só vez. Uma marmita preparada não apenas custa menos, como é também ecologicamente mais sólida e mais saudável do que qualquer fast food.

  1. Fique desligado.

    Isso inclui compras virtuais, mas também para redes sociais.

    Comprar online pode te dar tanta dopamina que pode ser viciante e você vai acabar gastando muito mais do que deveria. Ficar desligado em geral também é uma boa ideia. A ligação entre depressão e redes sociais está bem documentada e, que maneira mais fácil de se sentir melhor consigo mesmo do que clicar em adicionar ao carrinho aquela coisa que você realmente não precisa?

    A comparação é o ladrão da alegria, e comparar a sua realidade com a imagem virtual perfeitamente seleccionada de outras pessoas é uma receita para o desastre.

  1. Aguente firme.

    É difícil e sabemos que nenhuma lista de dicas de orçamento pode aliviar completamente o stresse de gerir um orçamento cada vez menor num mundo cada vez mais caro, mas tente se manter positivo!

Para mais informações sobre como organizar um orçamento, consulte estes recursos:

https://truthaboutmoney.co.za/beginners-guide-budget/

https://www.food24.com/how-to-set-a-realistic-monthly-food-budget-and-stick-to-it/